terça-feira, 27 de junho de 2017

Salgar


Porque tarda o meu Salgar?
À terra eivada,
Sangue meu nunca remido,
Chega-me sem tardança,

N’alma lustrosa de denodo,

Nenhum comentário:

Postar um comentário