quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Asa da graúna


La são já
N dias
Por essas plagas
Que cheguei
E se já me invado
Dum fado silente
E servil
Me encho de
Andar ate o outro lado
Da chuva
Para além da várzea
Em nenhures
Onde me tenho
Perdido inteiro
De margaridas
Ai quão bela terra
Arúspice
Onde
Me planto em
Pequenas
Saudades
Instantâneas
Que logo vão-se
Pro céu.


Nenhum comentário:

Postar um comentário