terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Vida (luis)

Um oscilante raio de luz

Que pela porta entra

Um sexo a flor

E ai o medo

Da pele alva, e sinuosa.

De teu corpo inteiro

De, quem sabe, a vida.

No murmúrio do mar

Da lua

Da rua

Ou de ter-te nu

E não sobre a luz da lâmpada

Ou sem vestes

Mas de ter nu o âmago de tua alma

Medo de teus olhos esverdeados

Jaspe nórdico

De teus cabelos e sua bossa

De saber

De querer

Medo ainda da entrega

Vertiginosa que alço

Ate ti 

Nenhum comentário:

Postar um comentário