segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Untitled

  Condicionadores

 

Essas   partículas-omda o plural de médium, do grego meio

 Neste caso os de transmissão da informação.

Que dever-nos-iam informar apenas ,parecem

Tão somente como anjos engravitantes, nos incumbir embuir

Sugerir ate, de forma clara ou subliminar.

Sopram aqui e ali ou mesmo soam altos clarins

A saber, nos desencorajam o pensamento critico.

Desvalorizam e ridicularizam o que de fato nos deveria ser fundamental

Dizem-nos ai que nossas vidas e nossos sonhos

Os dos que se atrevem a fazê-lo, são insignificantes ou inalcançáveis.

Ou mesmo desimportantes.

 

Destroem logo cedo nas escolas quais quer relações sociais saldáveis

E a possibilidade de compreensão, dispondo as crianças em grupos.

E orientando-as a dividirem-se ainda mais.

Julgam bons e maus por quanto obla cada família.

Fazem-nos crer que nossa vida quotidiana, cada pedaço ou espressao de amor.

Ou afeto qualquer coisa que tomemos como realidade

Ciência, religião ou ideologias são desajustadas dos padrões.

Transformam o que poderia ou deveria ser uma experiência maravilhosa

Esplendida, nesse caso nossas próprias vidas em algo que não desejamos.

Queiramos ou possamos querer jamais.

Olhamo-nos no espelho e vemos um dantesco retrato dia após dia

Ainda por cima culpam-nos de algo intrínseco que nem sequer conhecemos

Não contentes com o fato de tornar a cada um de nos

Caixas de pandora ambulantes

Vendem-nos um modelo do que realmente precisamos

Por sorte

 

Criam um perfil um pacote completo do que devemos comer,

Fazer em cada aspecto de nossas vidas. O que você deve sentir

Vestir e beber para se ajustar ao padrão ou para fazer parte de algo

Qualquer que seja o grupo, como devemos pensar escolher e falar.

Mesmo os conceitos mais íntimos em nosso subconsciente estão lá

Postados como sentinelas atrozes para manter-nos sempre presos

A qualquer coisa que nos digam ser o melhor ou mais correto

Mais ético mais na moda ou atualizado.

 

Vendem-nos coisas inalcançáveis  como perfeição ,certeza comforto

Oferecem-nos um creme de milho sintético produzido industrialmente

Por uma maquina ligada em um provedor ligado a uma rede elétrica

Os quais certamente desprovidos de paladar, tato ou mesmo de língua

Músculos ou enzimas para saber o gosto do mesmo.

Mas por conta da vida que levamos

Correndo atrás  deste graal que torna-nos aceitável

Esta solução que nos empurram boca abaixo

Engolimos a pastosa substancia sem gosto, carregada de hormônios.

E dioxinas que para variar estão rotuladas ou catalogadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário