terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Soneto de ti . (luis)

Teu riso me verve as faces

Que veemente

Alegra-se

 

Com olhos e corpos

Voláteis e cantantes

Interceptas as mesmas

Perto e longe

 

Jacintos longos de teus cabelos

E discos de luz

Que te livram

 

Eu eco me dôo e tu nárco

Apático

Na noite lúcida e vã.

Um comentário: