sábado, 8 de janeiro de 2011

Nova Mu



Sombras do amanhã que se foi
Mortiças rudes,que
nos forçam a alcançar...
Velhas lágrimas póstumas
que nascem em tuas flores azuis
E o sol volta sobre teus olhos
Passa o horizonte que
de longe reserva, o sétimo selo
que cairá sobre nós.
Agora a chuva inda cai e
estamos vivos...
As escolhas não são mais necessárias
e nossos olhos estão cobertos
do orvalho da noite que se foi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário