quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Hino moto

Sinuosas proposições cadentes

Sobre as arestas, vultosos areópagos.

Desgastados sobre o nada

Querências vazias das coisas

De pensar, dizer.

Luzas diluídas

Sóbrias canções de amor Candido

Vividos sabores desta alvorada

Vezes sem fim

Que nos esquecemos das

Vivas amuradas na memória

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário