quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Canto encanto

As ânsias que me consomem

Ardem,caem,chovem

E eu que era triste e distante

Esqueci-me e me lembrei

Em cada ramo das acácias

Lânguidas e frívolas

Como o sol de hoje

Chorei e me declarei

A quem eu quis

E me cansei

Lamuriei meu bem querer

E isso dentro e fundo

Abissal solidão

Revivi em sonho

Noites longas distantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário