terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Bér

 

De repente apenas de repente

A luz alvorece nova manhã

Como o valhala

Brilhando na aurora

Meu caminho dos deuses

Sei que vem para deleite

Orvalho doce luminoso

Uma luz com braços doiros

E fortes pernas como montanha

Nos olhos lagos profundos

De cumplicidade

Sua coroa alva

Um filho de cem reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário